Caminho de Santiago de Compostela - O Caminho Francês Original

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Conselhos para novos peregrinos

Muitas pessoas pedem dicas, e eu vou respondendo... resolvi fazer um post só destas dicas:

Tenho sim muitas dicas... a maioria fui colocando no Blog que criei para acompanhar as noticias do caminho e de minhas duas viagens por ele.
De toda forma posso resumir assim:
Na verdade um email é pouco para tantas dicas que se pode dar... Vou limitar as mais importantes e que acho que podem realmente fazer diferença.
A primeira é a escolha do caminho que quer fazer e se vai fazê-lo pelo caminho ou pela estrada.
Eu faço pelo caminho e só recorro ao asfalto em casos críticos, mas é comum ciclistas fazerem o caminho todo pelo asfalto.
O Caminho de Compostela, na verdade são vários... você deve escolher qual rota pretende fazer considerando a distância, número de dias disponíveis, relevo, estrutura e grau de interesse.
O mais famoso é, sem dúvida o caminho francês, que conta com excelente estrutura, uma dificuldade média e leva cerca de 13 dias para ser feito de bike – 800 km.
A bicicleta, de regra geral, deve ser uma mountain bike, de alumínio (ou carbono, se puder), com suspensão dianteira apenas e alforjes na traseira. Mas isso depende do que você pretende fazer exatamente. Veja bem: Eu uso a mountain de quadro rígido, apenas com suspensão dianteira pois uso os alforjes bem carregados atrás, então uma bike full não me serve. Pois elas suportam apenas entre 10 e 15 quilos de carga nos bagageiros de canote. Mas para quem for despachar a bagagem ou viajar com carro de apoio você pode ir com uma full, pois não levará alforjes. Alforjes dianteiros ou carretinhas não são necessários, pois há tudo que se precise durante o caminho então não precisamos levar muita comida, roupas nem barraca.Se você optar ir pelo asfalto pode usar uma bike mountain com pneus mistos ou lisos, isso melhora o desempenho, mas adianto que a viagem por asfalto é bem sem graça, ainda que a maioria dos ciclistas opte por este caminho por ser bem mais fácil, principalmente nas subidas. É bastante comum ver europeus de speed, lotados de alforjes e carretinha, mas eles percorrem distâncias muito grandes toda pelo asfalto. Para quem vai fazer só o caminho isso não tem graça.O caminho é composto de trilhas, estradinhas e um pouco de asfalto. Temos trechos com buracos, pedras e outros bem lisos, por isso uma mountain com pneus de trilha é a melhor opção.Quanto ao quadro e componentes vai depender de seu poder aquisitivo. Quanto mais leve e melhor o conjunto mais conforto na pedalada e, principalmente mais facilidade no transporte aéreo. Componentes devem ser no mínimo shimano ou superior, são mais leves e te dão segurança. Quadros de ferro, cromo ou de ligas de alumínio muito pesadas vão te dar dor de cabeça nas subidas muito íngremes e, principalmente, no aeroporto, onde a bike mata parte de sua franquia de bagagem. Quanto aos alforjes, eu prefiro os mais simples, de compartimento único ou com um ou dois bolsos apenas. Uso os da Ortlieb, mas só se acha na Europa e não é barato, mas ele é um único compartimento, 100% estanque e com um engate rápido e seguro no bagageiro. Os da Deuter são uma boa opção também, pois tem o engate rápido, são de muita qualidade e tem boas capas de chuva.Não encha a bike de acessórios que vão demandar um tempo para montar, desmontar, mais peso pra carregar, mais coisa pra cuidar. Deixe a magrela o mais pelada possível. Mas é bom ter: campainha, para alertar peregrinos da sua chegada, odometro ou GPS para marcar seu desenvolvimento, uma lanterna que será usada a noite nos albergues.Vá cedo... se pretender ir no ano que vem, algo como abril, maio ou no máximo início de junho. Este ano é ano santo e tudo está incrivelmente lotado. Por isso se planeja ir ainda este ano, deixe para o fim de setembro ou outubro. Depois disso é muito frio para nós.
Veja logo sua passagem e defina roteiro/datas/vôos. Com isso você se garante e não corre o risco de adiar a viagem.Quem se previne pode até perder alguma promoção, mas garante viajar quando quer viajar e não quando der pra viajar.Leve pouca coisa e muita roupa de academia – tecidos inteligentes de esquentam e refrescam de acordo com a necessidade e não retém a umidade. Tem uma lista do que eu levei este ano postada no blog que pode te dar uma idéia do que levar.Leve saco de dormir e esqueça a possibilidade de usar os lençóis dos albergues, embora alguns tenham lençóis descartáveis para evitar contágios. Se tiver sono leve, tenha consigo um Ipod para dormir.Não se preocupe com o trajeto. Chegando em Saint Jean (início do Caminho francês) você vai achar uma flecha amarela... (Ou na cidade de partida de qualquer uma das outras vias) basta segui-la até Santiago. É infalível. Leve um bom guia para conhecer eventuais desvios e decidir qual rota pegar e ter uma noção de qual a próxima cidade, com isso programar saídas e paradas. Os mapas servem mais pra isso do que pra guiar, pois isso as setas amarelas fazem.Se não achar um guia aqui você compra lá, tem muitos e mais baratos. Aqui os bons custam cerca de 80 a 100 reais. A vantagem de ter um guia aqui é para se programar, mas nas cidades de partida você encontra. Eu hoje recomendo os guias da El Pais Aguilar.Não existe nenhum guia nacional. Só o do L Ripol, mas é muito fraco, mesmo, embora seja barato.Chegando em Santiago diga que fez o caminho por motivos religiosos ou por motivos religiosos e turísticos. Se escolher “outros” vai receber um certificado em espanhol de que viajou até Santiago... NÃO é a Compostelana, esta só é dada a quem faz o caminho por motivos religiosos. É um documento diferente e escrito em Latim.A comida é como a nossa... escolha sempre o menu peregrino que inclui uma entrada (salada ou massa) o prato (uma carne ou peixe) sobremesa (Geralmente um sorvete) e água ou vinho (geralmente LIVRE). Pergunte, pois as vezes dá pra tomar mais de uma garrafa na mesma conta... A coca você paga, o vinho está incluído... imagina em que astral você vai caminhar??
O gasto médio é de 50 euros por dia, mas eu, como compro muita coisa pelo caminho, contei 100 euros por dia.
Para dormir você gasta uns 15 euros, para comer – duas refeições e um café – gasta uns 25 euros, para outras coisinhas gasta mais 10. Compre uma passagem para Sua cidade/Madrid/Pamplona//Santiago de compostela/Madrid/Sua cidade deve sair uns 1000 euros. Vá de Ibéria pois eles são os que mais se adéquam as nossas necessidades, já que tem as conexões necessárias. Mas dá para fazer por outras cias e até de trem, mas eu acho que não vale a pena. A Ibéria deu pra cobrar 75 euros para transportar a bike... independente do peso. Isso lhe abre a possibilidade de viajar com mais peso além das duas malas... mas como vai viajar de bike, isso só interessa na volta.
Leve pouca coisa!!! Diminua a lista 3 vezes... dá pra fazer.
Tem lavanderia em quase todos os albergues.
Você gasta uns 2000 euros para fazer o caminho, bem feito... o resto é com você... mais compras, mais conforto, mais sorvetes, mais vinho, mais vinho, mais vinho...Não se preocupe com nada... tem uma cidade a cada 5 km, tem milhares de pessoas como você fazendo a mesma coisa, tem muitos brasileiros no trajeto vivendo ou peregrinando, após o 2º dia a coisa entra numa rotina que funciona por si só. Meta as cara e vá com Deus. Com certeza você vai ser mais um divulgador do caminho e, pode apostar, vai querer voltar.

6 comentários:

  1. muito util suas dicas, boa viagem!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Ruben, estou a planear ir de Lisboa a Santiago de Compostela, de bicicleta

    pelo que vi, conheces o itinerário, assim sendo gostava de saber se me podes enviar

    o teu itinerário, assim como algumas dicas que consideres importantes.

    Muito obrigado

    João Antunes

    ResponderExcluir
  3. Christine Siebje Mancinelli9 de julho de 2010 16:20

    Olá Rubens,

    Li no site ondepedalar, sobre suas considerações sobre o Caminho Portugues;
    vc já foi? Ou ainda está planejando?
    Eu gostaria muito de fazer este percurso, mas não tenho corajem de ir sozinha.
    O caminho francês sempre tem muita gente, eu já fiz a pé sozinha. Mas o Portugues não tem a mesma estrutura, ou tem?

    No aguardo,
    Christine Siebje Mancinelli-Joinville/SC

    ResponderExcluir
  4. Oi Rubens:
    Mais uma vez gostaria de agradecer-lhe pelas dicas, que estão sendo muito úteis para todos nós que pretendemos seguir o caminho.
    Quanto a este texto, após lê-lo fiquei com algumas duvidas referentes a bicicleta, talvez eu não esteja sabendo escolher o modelo mais indicado para este tipo de viagem...
    Pois bem, existem muitos tipos de Mountain bike, vários modelos, marcas e preços, incluse algumas que chegam até a ser mais caras que um carro popular... se levarmos em conta custo/beneficio, o que seria uma boa bike para se fazer o caminho? Você disse que o ideal seria uma bicicleta leve... até quanto seria um bom peso? Algo em torno de 16 K é um bom peso? Quanto as marcas, em cada lugar eles são diferentes, onde moro, boa parte das mountain bike são também marcas de carros como: Lamborghini, Jeep, Toyota ou Hummer, só para citar alguns exemplos, são bicicletas indicadas para o caminho?
    Bem, mais uma vez obrigado pelas informações sempre presentes e pela dedicação e atenção...
    Um grande abraço.
    Jose Paulo.

    ResponderExcluir
  5. Olá José,
    Não conheço estas bikes, mas acredito que, devido a qualidade das marcas citadas, devem ser boas bikes sim. No entanto havemos de convir que quem faz carro faz carro e quem faz bike faz bike... ou seja, eu prefiro usar marcas que se especializaram nisso, tal como a TREK, SPECIALIZED, CANNONDALE, SCOTT... são marcas de bikes todo terreno de extrema qualidade, que suportam muito bem uma aventura como esta sem nenhum tipo de avaria... no máximo um pneu furado ou um raio quebrado.
    Em questao de preço... vai do bolso de cada um... a minha bike custa aqui US1500,- e na Europa se encontra por uns E$900,00... não precisa mais que isso. Aluminio, componettes shimano deore e deore XT. Ela pesa uns 14 kg sem a bagagem, mas com bagageiro, bomba e ferramentas. Mais pesada, mais dificil, mas naõ impossível... vai da tua perna aguentar.
    As de carbono, que passam dos 5000 dólares, não sao indicadas para o cicloturismo... sao muito caras e seu desenho não é feito pra isso... não tem nem como fixar direito um bagageiro.
    Vão pesar bem menos, 11 ou 12 kg, mas acho que não valem o preço.
    Espero ter ajudado... pode perguntar sempre que precisar.
    Abraço

    Rubens

    ResponderExcluir
  6. Como vai Rubens?
    Mais uma vez obrigado, pela atenção e pronta resposta para minhas duvidas, enfim... muito obrigado por toda ajuda!!!
    Bem, depois da sua resposta resolvi pesquisar um pouco melhor e descobri que atualmente o universo das bicicletas é muito maior do que imaginava. Hoje podemos compará-las com os carros, sem exageros, pois temos modelos 2009, 2010, etc, freios a disco, etc...
    Acredito que terei que rever os meus planos em relação a compra da nova bike para fazer o caminho.
    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir