Caminho de Santiago de Compostela - O Caminho Francês Original

terça-feira, 15 de maio de 2007

Duas semanas

Bem, faltam apenas duas semanas para sairmos na nossa aventura meio turística, meio peregrinatória (Existe isso?). Já não dá mais tempo de treinar... não vai mudar nada. Agora é torcer para que as pernas aguentem, que os alforjes não rasguem, que a bike não quebre.
Pra ajudar só dá tempo de ler, ler tudo o que escreveram para conhecer melhor o que vamos enfrentar. Agora estou lendo um livro que chama Caminhos para Santiago... Bem, devia falar do caminho, mas até agora o autor não chegou nele... vamos ver.
O caminho que escolhemos é o mais tradicional, o "caminho francês" que começa em Saint Jean Pied de Port ou em Puerto del Somport, ambas as cidades a poucos quilometros da divisa entre a França e a Espanha. Esta versão do caminho é a mais concorrida, consequentemente a que mais possui infra-estrutura e literatura. Vários são os livros que encontrei sobre o caminho, outros tantos não encontrei mas soube deles e 95% deles são sobre o caminho francês.
Esta semana eu li o livro da Lúcia Amaral de Oliveira Ribeiro, "Histórias de uma peregrina - Santiago de Compostela e outros caminhos". Olha... não é ruim não. Tem uma boa parte introdutória com várias curiosidades do caminho, o que é uma raridade nos livros de relatos de viagens. Passado isso a autora entra na sua história do caminho que é a mais abreviada que já li. Aí eu tenho de ser cruel e dizer que é muito pouco instrutivo. Dá uma ou outra dica de igrejas e albergues, mas conta tudo que se passou tão abreviadamente que nem dá para se envolver com sua história pessoal. Ou seja, a segunda parte não serve como guia nem como história de uma peregrina. Mas, considerando o baixo custo, o bom acabamento, a primeira parte e as poucas dicas... pode comprar.
Gostei das dicas da Pedra da igreja de Padron, antiga Iria Flávia, que serviu para amarrar o barco que trouxe os restos mortais de São Tiago, da hospitalidade de Pablito de Azqueta, sobre quem já havia lido, o que reforçou minha crença de que o cidadão é simpático mesmo, da igreja de Santa Maria la Blanca, em Villacazar de Sirga e do Monastério de Samos.
Até a próxima.
Abraço
Rubens Munhoz Bürgel

4 comentários:

  1. Boa sorte na empreitada!

    ResponderExcluir
  2. Também li este livro... não gostei.

    ResponderExcluir
  3. Muito bacana este mapa com todos os caminhos. Parabéns pelo Blog e pela viagem!

    ResponderExcluir
  4. Helena, a Peregrina17 de setembro de 2007 14:22

    Olá
    Também li este livro e mais tearde encontrei o Pablito. Ganhei um cajado dele que guardo até hoje. Em troca deixei uma imagem de Nossa Senhora Aparecida que carregava comigo na carteira. Com certeza ele faz parte de minhas memórias de viagem.

    ResponderExcluir